Wide Blog Theme

07.11.11

BRASIL. Redes sociais e ferramentas web são temas de encontro em São Gabriel da Cachoeira (AM)

Categorías: Brasil, - TIC, Internet

Organizado pela Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn) e pelo ISA, o encontro ocorreu entre 13 e 15 de outubro de 2011 em São Gabriel da Cachoeira, no telecentro do ISA. O objetivo é melhorar a comunicação entre as lideranças e as iniciativas associadas à atuação da Foirn, com foco na valorização e divulgação dos modos de viver do povo rio negrino, de seus conhecimentos e práticas. O tema do encontro foi o uso de ferramentas da web para mobilização social e campanhas.

Foi o segundo encontro realizado este ano em São Gabriel da Cachoeira, noroeste amazônico, e contou com a participação de cerca de 20 pessoas incluindo funcionários da organização indígena, lideranças, realizadores dos Pontos de Cultura (Foirn) e parte da equipe do ISA.

O Encontro "Redes sociais e boas práticas no uso de ferramentas web" é parte de um projeto da Foirn e do ISA, com a cooperação austríaca. Tanto este quanto o primeiro encontro realizado em abril foi ministrado pelo especialista em web João Ramirez. Ele utilizou casos consagrados de uso de ferramentas web, sobretudo as redes sociais, para explicar a mobilização de campanhas e exercícios de empreendedorismo.

Lembrando do encontro em abril, João destacou que de lá pra cá a Foirn e o movimento indígena do Rio Negro estão utilizando as redes sociais da internet que tem funcionado como um agregador de agendas com grande potencial para a formulação de campanhas, caso do twitter, do blog que foi reativado e duas páginas no Facebook.

Os participantes vieram de Cucuí, Santa Isabel, Taracuá, Escola Pamáali (no Rio Içana), Escola Tuyuka (no Rio Tiquié) e funcionários dos departamentos de comunicação, educação e secretaria da Foirn, dando continuidade à formação iniciada em abril. Durante três dias, o grupo refletiu sobre como a organização indígena e as associações podem usar as redes sociais para campanhas e empreendedorismo, e discutiu uma política de uso das redes sociais dentro da Foirn.


Joaõ Ramirez durante II Encontro em São Gabriel


Desafios e diversidade de linguagem

Os participantes, que moram fora da sede municipal de São Gabriel da Cachoeira, relataram que é muito difícil acessar a internet em suas localidades e que os Pontos de Cultura e associações ainda não receberam os kits de internet previstos em projetos da Foirn com o Ministério da Cultura e Comunicação. Os que residem em São Gabriel reclamaram que a conexão existente é lenta e na sede da Foirn há problemas de limite de acesso.

Ramirez explicou que apenas 30% da população brasileira acessa internet hoje. Estima-se que dentro de três ou quatro anos este número dê um salto e então, 80% da população terá acesso. Em sua opinião não há mais barreiras tecnológicas para transmissão de internet em lugares remotos como o Alto e Médio Rio Negro, mas as alternativas ainda são economicamente inviáveis.

Juscelino Azevedo , do departamento de educação da Foirn, apontou que a dificuldade de acesso é limitante, mas por outro lado, ele sente que a internet funciona como um atrativo: "Ela tira a gente do trabalho, da concentração, e para os indígenas, falantes de outras línguas, é difícil pensar em nossas línguas nativas e então escrever em português". Sem contar o desafio com as diferentes linguagens das mídias e redes sociais. "Eu falo tukano e português, às vezes tenho dificuldade de passar de um para o outro e com a internet também, sinto dificuldade de estar no sistema e depois ter que fazer um ofício e ainda depois usar a caneta para escrever uma carta ou bilhete. Nossa internet muitas vezes é a voadeira (embarcação de alumínio), é nela que viajamos" afirmou Juscelino.

A internet e as redes sociais são meios de comunicação e de relação entre pessoas e instituições e estão sendo muito usadas por serem formas relativamente baratas, divertidas e rápidas de se comunicar, mas certamente não substituem outras formas de relacionamento e conversas presenciais.

Política de uso da web e proposta de campanhas

Nos dias do encontro, o grupo discutiu o que poderia ser um conjunto de regras para o bom uso das redes sociais da web na Foirn. João Ramirez ressaltou que políticas como estas vêm sendo discutidas por instituições e empresas. Entre as sugestões e possibilidades resultantes das discussões estão:

:: Não usar o Facebook e outras redes sociais para objetivos pessoais como conversar com amigos, namorado, baixar vídeos e fotos, fazer compras;

:: Usar as redes sociais em horário fixado e por turnos de departamentos;

:: O Facebook é uma ferramenta de comunicação de aprendizado e de relacionamento e deve-se procurar aprender um pouco mais sobre esta ferramenta todos os dias para utilizá-la melhor na vida e no trabalho;

:: Capacitar e conscientizar os funcionários;

:: Criar um sistema de monitoramento do uso por computador, por exemplo, o proxy, que identifica sites e dowloads visitados por cada computador conectado a um servidor.

Os participantes ficaram animados para fazer campanhas que possam melhorar a vida no Rio Negro e também divulgar os conhecimentos rio-negrinos. Várias sugestões de campanhas foram listadas e duas delas foram consideradas prioritárias:

1- Movimento para inclusão digital no Médio e Alto Rio Negro;

2- Somos do norte. Quem somos nós? Campanha de promoção do modo de vida rio-negrino a partir dos produtos (vídeos, textos, fotos, monografias) já elaborados pelos alunos das escolas diferenciadas, realizadores dos Pontos de Cultura e pesquisadores indígenas.

Em relação à primeira ideia, João Ramirez se comprometeu em levar para a casa a tarefa de animar um grupo de pessoas e instituições da academia, empresas, setores do governo e ONGs para a formação de um GT (Grupo de trabalho) a fim de elaborar e implementar uma estratégia de melhoria do acesso à internet + energia nas comunidades do Alto Rio Negro.

Para a campanha de divulgação dos conhecimentos dos povos indígenas pensou-se em formular uma agenda anual e temática, mês-a-mês para o departamento de Comunicação da Foirn receber produtos e divulgar no site da instituição, que será lançado em breve. A partir daí, ressaltou-se a necessidade da Foirn ter uma estratégia de sistematizar e divulgar os vários produtos já elaborados em sua rede de ações e de suas associações de base.

Como a conexão de internet em São Gabriel da Cachoeira é ainda um fator limitante, uma alternativa indicada é a realização de uma feira de conhecimento, uma espécie de simpósio ou festival com apresentação de painéis em texto e vídeos de poucos minutos. Boa ocasião para intercambiar conhecimentos e processos de sistematização entre os participantes e agregar conteúdos para atualizar o site da Foirn e animar a campanha.

Considerando que os dois encontros foram importantes para a formação pessoal e profissional, os participantes solicitaram receber um certificado, que foi emitido pelo ISA e pela Foirn.

5/11/2011

http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=3448

 

Wide Blog Theme

 

Archivo de prensa - CEPPDI -  www.politicaspublicas.net